Sal branco imaculado não quer dizer tudo sobre a qualidade

A variabilidade do tempo interfere no perfil do sal. Na cor, na textura e na quantidade de minerais.
Por Edgardo Pacheco|03.09.18
  • partilhe
  • 0
  • +
A introdução do conceito Denominação de Origem Protegida (DOP) – uma das boas coisas que a União Europeia nos deu – fez muito pela educação dos consumidores que comem com critério. Ou seja, contribuiu para a defesa e promoção dos produtos com identidades regionais próprias.

Sucede que, por serem produtos naturais, estão naturalmente sujeitos aos humores da natureza, coisa que faz com que um vinho, um queijo, um mel, uma carne autóctone ou um sal apresentem, desejavelmente, alterações em consequência das variabilidades climáticas. Um produto DOP não é, digamos assim, um enchido industrial.

E que tem tudo isto a ver com sal? Tem que Jorge Raiado, criador de uma das melhores flores de sal do País (Salmarim) disse-nos que certos clientes desconfiam quando o sal não é sempre imaculadamente branco. Havendo umas notas mais rosadas, acinzentadas ou amareladas, os consumidores desconfiam.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De Manuel08.09.18
    Azeite e sal na mousse de chocolate é como açúcar na sopa!"
1 Comentário
  • De Manuel08.09.18
    Azeite e sal na mousse de chocolate é como açúcar na sopa!"
    Responder
     
     0
    !