Agente russa usou sexo para espiar republicanos

Maria Butina, de 29 anos, usou sedução e paixão por armas para se tornar amante de membro da NRA, o lóbi das armas.
Por Francisco J. Gonçalves|20.07.18
A russa Maria Butina, detida no passado domingo e acusada de espionagem, usou o sexo e a paixão pelas armas para se infiltrar nos círculos políticos republicanos. Segundo o processo judicial, Butina, de 29 anos, aproximou-se do partido do presidente Donald Trump insinuando-se junto de homens da National Rifle Association (NRA), poderoso grupo de defesa do direito de porte de armas e grande apoiante do Partido Republicano.

De acordo com a acusação, Butina vivia com um membro da NRA, que terá contactado em 2013 quando estava ainda na Rússia. Identificado apenas como ‘U.S. Person 1’ [‘Pessoa americana 1’], pensa-se que seja Paul Erickson, de 56 anos.
A relação que mantinha com ele desde 2015, ano em que se mudou para os EUA, seria puramente oportunista.

A russa terá por mais de uma vez mostrado desdém pelo companheiro, vendo-o como "um aspeto necessário das suas atividades". O Ministério Público diz ainda que "pelo menos uma vez, Butina ofereceu sexo a um indivíduo, que não era a ‘Pessoa 1’, em troca de um cargo num grupo de pressão".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!