Centro de saúde nega autorização a grávida de alto risco para levar acompanhante

Grávida de 25 anos está indignada com a situação. Caso ocorreu em Porto Santo, na Madeira.
03.07.18
O Centro de Saúde do Porto Santo negou a autorização a uma grávida de quatro meses, utente de alto risco, a deslocar-se com um acompanhante ao Funchal para uma consulta. Fonte do centro de saúde diz que não há risco clínico que justifique o caso, enquanto a queixosa considera-o uma "injustiça".

O caso aconteceu quando Joana Madeira, a grávida de 25 anos, marcou uma consulta de Obstetrícia para amanhã, terça-feira, às 10 horas, no Funchal. Contudo, o médico Rogério Correia autorizou somente a ida da grávida, que teria todas as despesas pagas.

De acordo com o Jornal da Madeira, que falou com os intervenientes, Rogério Correia, responsável pela Unidade Dr. Francisco Jardim, admitiu que a madeirense tem uma gravidez de risco, mas garante que não há limitação que justifique viajar acompanhada. Já Joana Madeira, a grávida de 25 anos, enumerou ao jornal regional os seus argumentos para viajar até ao Funchal acompanhada: "Eu sou uma utente de alto risco, porque trombose da veia jugular interna, em Setembro passado, que me obrigou a ficar internada nos Cuidados Intensivos durante quase uma semana. E, ainda há pouco tempo, há cerca de duas semanas, fui novamente evacuada por cefaleias (dores de cabeça) muito graves e suspeita de trombose. Além disso, eu tenho lúpus, tenho SAAF (Síndrome do anticorpo antifosfolipídeo) e tenho o útero demasiado baixo, não posso pegar em pesos."

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!