Centros fazem menos testes rápidos ao VIH

Entidades reportaram 9798 exames no ano passado, menos 1241 do que no ano anterior.
Por Francisca Genésio|04.06.18

O número de testes rápidos ao VIH em Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH (CAD) registou uma quebra no ano passado. Segundo o Relatório de Atividades 2017 da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram reportados 9798 testes, com uma proporção de 1,15% de casos reativos, quando em 2016 tinham sido realizados 11 039. Ou seja, mais 1241.

Enquanto os CAD enfrentam uma tendência decrescente relativa ao número de testes rápidos ao VIH, a atividade das entidades coletivas privadas sem fins lucrativos aumentou 34,5%, tendo sido reportados mais de 18 mil testes, com uma proporção de 1,28% de casos reativos. No conjunto de todas as entidades foram realizados 39 319 testes ao VIH no ano passado, mais 34% do que em 2016.

Só o Grupo de Ativistas em Tratamento (GAT) foi responsável por cerca de 15 mil sessões de rastreio, que além de testes ao VIH inclui também exames para a sífilis e Hepatites B e C. Deste total, o organismo identificou 800 casos positivos de VIH e encaminhou cerca de 80% destes para cuidados médicos.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!