Escroto bífido escondia vagina

Menino nasceu com defeitos genitais muito raros e sem ânus.
Por Pedro Zagacho Gonçalves|01.09.16

Leanne Owen, de 40 anos, ficou em choque quando recebeu a notícia de que o filho, Harry, de oito anos, tinha uma vagina escondida. O menino nasceu com uma série de defeitos congénitos, que incluem três orifícios no coração, escroto bífido, coluna vertebral torcida, problemas de rins e a ausência de uretra e ânus.

O rapaz, Natural de Manchester, foi tratado e sujeito a várias cirurgias logo após o nascimento, quando foram detetados os problemas no coração, trato intestinal e urinário e coluna vertebral.

A mãe acompanhou de perto o desenvolvimento do filho e começou a reparar que os genitais de Harry Owen não cresciam e apresentavam-se muito diferentes do normal. Só agora a criança foi diagnosticada com escroto bífido, associado a algumas características genitais femininas. O menino tem o escroto dividido em dois, onde está um orifício urinário, escondido por duas dobras de pele semelhantes aos lábios vaginais de uma mulher.

Leanne, que estava grávida na altura da descoberta, sofreu um aborto espontâneo e culpa o choque e o facto dos médicos terem feito um mau trabalho. "Fiquei devastada . Eu sabia que estava qualquer coisa mal internamente com o Harry, para além dos problemas todos com que nasceu", conta ao Daily Mail.

Harry foi recentemente diagnosticado com síndroma de VACTREL (Anomalias na coluna vertebral, atresia anal, anomalias cardiovasculares, problemas traqueoesofágicos, anomalias renais e defeitos nos membros), associado muitas vezes a uma trissomia do cromossoma 18.

Mais aliviada por saber o que se passa com o filho, Leanne Owen continua, no entanto, muito irritada com o Hospital Infantil de Manchester e o Hospital Blackpool Victoria, que acompanharam Harry ainda antes do nascimento, e assume interpor uma ação judicial.

"Fico frustrada, porque todos estes defeitos podia ter sido detetados nas ecografias e não foram. Agora ele sofre todos os dias. E ainda vai ter que sofrer mais porque vai ter que ser operado ao escroto bífido. E ele odeia ser sujeito a cirurgias. Já foram tantas e ele fica sempre em agonia", relata a mãe do menino.

Harry Owen, no entanto, mantém-se forte e de sorriso no rosto. "Quem o vê não imagina pelo que ele passa. É um menino muito feliz, que gosta de cantar e dançar, e que é muito acarinhado por todos os vizinhos", conclui Leanne Owen.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!