Ex-tesoureiro de Centro Social julgado por desvio de 1,7 milhões

Tribunal de Guimarães pronunciou homem pelos crimes de peculato, branqueamento, falsificação e participação económica em negócio.
04.06.18
  • partilhe
  • 0
  • +
O juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães pronunciou o ex-tesoureiro de uma IPSS de Bairro, Famalicão, pelos crimes de peculato, branqueamento, falsificação e participação económica em negócio, pela alegada apropriação de 1,7 milhões de euros da instituição.

Em nota publicada esta segunda-feira no seu site, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto acrescenta que foram pronunciados, por falsificação, mais três arguidos, na altura membros da Assembleia-Geral da Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) em causa, o Centro Social e Cultural de S. Pedro de Bairro.

Confirmando a acusação do Ministério Público (MP), o juiz de instrução considerou "suficientemente indiciado" que, entre 2008 e 2011, o tesoureiro se apropriou de 1,7 milhões de euros pertença da IPSS, sobretudo através de transferências de contas da instituição para contas de empresas que geria.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!