Sub-categorias

Notícia

FMI defende ajustamento orçamental em Portugal

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI) defendeu, em carta enviada ao líder do PS, que o ajustamento orçamental em Portugal é necessário, mas que deve ser mantido um equilíbrio com o crescimento e o emprego.
27.02.13
  • partilhe
  • 0
  • +
FMI defende ajustamento orçamental em Portugal
Christine Lagarde, diretora do FMI Foto Yuri Kochetkov/EPA

De acordo uma fonte do PS, Christine Lagarde refere - na carta, que responde a uma outra enviada por António José Seguro no passado dia 17 -- que a delegação do FMI está em Portugal para apreciar o contexto económico e garantir um equilíbrio correto entre ajustamento e crescimento e emprego.

Num trecho da carta a que a Lusa teve acesso, a diretora do FMI admite, no entanto, que o equilíbrio necessário é difícil de atingir.

A mesma fonte do PS adiantou à Lusa que a diretora do FMI defende também, na carta, que "a sustentabilidade das finanças públicas é essencial para evitar uma crise económica mais profunda que poderia criar ainda mais tensões na sociedade portuguesa" e sublinha que isso é "algo que todos queremos evitar".

Na carta, a responsável do Fundo Monetário Internacional não faz qualquer referência ao corte de 4 mil milhões de euros nas despesas do Estado.

O secretário-geral do PS enviou, dia 17, uma carta às três instituições que formam a 'troika', pedindo que na sétima avaliação do programa de resgate fossem enviados a Portugal "responsáveis políticos".

Para António José Seguro, a situação económica e social em Portugal "agravou-se fortemente", resultado da "política da austeridade do custe o que custar".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
9 Comentários
  • De António28.02.13
    O ajustamento orçamenetal só se consegue realizar quando cortarem na despesa,baixarem substancialmente as reformas do sector Estado e da Segurança Social,superiores a 1.250 Euros,colocarem um tecto de 1.500€ nas reformas
    Responder
     
     0
    !
  • De Ser27.02.13
    Mais uma prova que, se as medidas do FMI já eram problemáticas, o PSD/CDS pegaram num carro em risco de incêndio e pegaram fogo com gasolina agora é que vamos ver se a E.U. é solidária ou se vamos ter que sair do euro...
    Responder
     
     2
    !
  • De joão alexandre27.02.13
    A transparência PS?...se o partido socialista primasse pela transparência perante os portugueses...divulgava a carta que endereçou e as respostas...na íntegra...e não por " bochechos "!!!
    Responder
     
     0
    !
  • De TRABALHO NUNCA ACABA27.02.13
    O PROBLEMA DO PAÍS É NINGUEM QUERER TRABALHAR. ESTA JUVENTUDE,SALVO EXCESSÃO DE ALGUNS,NÃO QUEREM AVERGAR A MOLA.GOSTAM É DE VIVER À CONTA DOS PAIS E AVÓS,A EXPLORÁ-LOS.QUEREM É NOITADAS,DORMIR ATÉ ÁS TANTAS E + NADA.
    Responder
     
     1
    !
  • De Aderito27.02.13
    O FMI devia exigir era cortes efectivos nas gorduras do estado e das pensoes de reforma de valor superior a dois salarios minimos(900euros)porque senao o governo vai aumentar as reformas do chulos e redizur o SMN.
    Responder
     
     12
    !

Mais notícias

Mais notícias de Cm ao Minuto

pub