Portugal preserva memória do fascismo com museu na Fortaleza de Peniche

Antiga prisão política servirá para manter viva a memória de um período negro em Portugal.
Por Catarina Demony|29.08.18
Portugal planeia transformar uma prisão notória em Peniche, onde ativistas antifascistas foram espancados e torturados, num museu para ajudar a garantir que as memórias e experiências dos seus sobreviventes idosos não morram com eles.

E como o apoio a grupos de extrema-direita cresce em toda a Europa, os sobreviventes dizem que é vital que as gerações mais jovens aprendam sobre o sofrimento sob o poder de António Salazar, o mais antigo ditador de direita da Europa.

Salazar governou Portugal com mão de ferro de 1932 até à sua morte em 1968, embora o seu regime só tenha desmoronado em 1974, na revolução dos 'Cravos', onde não foi derramado sangue.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!