Funcionária dos CTT trama ladrão armado

Atingiu a tiro uma mulher de 62 anos, que estacionava o carro, e um jovem de 22, num ataque à junta de freguesia de Pedroso, em Gaia.
Por Nelson Rodrigues|30.05.18
  • partilhe
  • 0
  • +
Manuel Alexandrino Noronha, 56 anos, queria roubar um carro para fazer um assalto. Foi ao Continente da Rechousa, em Vila Nova de Gaia e mal viu a mulher, de 62, a estacionar o Fiat Punto, resolveu atacar. "Dá-me as chaves do carro, senão mato-te", gritou o arguido, enquanto lhe apontava uma arma de fogo. A vítima começou a gritar e foi de imediato baleada nas costas.

Este ataque ocorreu às 10h00 do dia 11 de julho de 2017. O atirador fugiu do local e dirigiu-se, depois, à junta de freguesia de Pedroso, onde funciona o posto dos CTT. Entrou às 10h30, encapuzado com uma meia de vidro preta na cabeça, e ameaçou os três funcionários e dois clientes.

"Isto é um assalto. Dinheiro, dinheiro", ordenou Manuel Alexandrino, sempre a apontar a arma. O arguido remexeu nas secretárias e como não encontrou dinheiro ficou revoltado. Aproximou a arma à perna direita de um dos funcionários, de 22 anos, e disparou. Enquanto continuava à procura de dinheiro, uma funcionária reconheceu-o, por ser cliente do posto. "Ó Noronha, és tu? Vai-te embora, seu ladrão". Manuel Alexandrino efetuou, então, um novo disparo para o ar e fugiu do local no carro.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!