Guarda-redes conta como sobreviveu "por milagre" à queda da ponte

Testemunhos de quem viveu a tragédia de perto relatam o horror vivido.
14.08.18

Davide Capello estava a viajar na auto-estrada 10, em Génova, quando viu o piso desaparecer e o seu carro precipitar-se no abismo.

"Foi uma cena cinematográfica, apocalíptica", disse o antigo guarda-redes que já defendeu o Cagliari.

"Não sei como ainda estou vivo. Saí do carro com a ajuda de um polícia", descreveu Cappelo ainda incrédulo com o "verdadeiro milagre" que lhe aconteceu.

"Estava a chover muito quando, de repente, ouvi um barulho e tudo se desmoronou", conta homem de 33 anos que aos 29 deixou o futebol para abraçar a carreira de bombeiro.

Homem "voou" mais de dez metros
Um homem, que não se quis identificar, contou a uma televisão local italiana que estava debaixo da ponte quando se deu o desabamento. "Foi um milagre", disse o homem de meia idade.

Falou em italiano enquanto se afastava da zona do desastre. A onda de choque fez com que "voasse" cerca de 10 metros, ficando com ferimentos no ombro direito e na anca.

"Voei, tal como tudo o que estava à minha volta. Sim, acho que é um milagre. Não sei o que dizer. Estou sem palavras", acrescentou.

Jogador passou na ponte com a família 10 minutos antes da queda
Há momentos na vida em que parece que somos protegidos por algo ou alguém que nos ultrapassa. É o que pode dizer de Domenico Criscito, jogador do Génova que passou na manhã de terça-feira na ponte que colapsou na cidade.

O lateral-esquerdo, de 31 anos, colocou um vídeo nas stories do Instagram, filmado pelo passageiro que ia ao seu lado. Vê-se a ponte, muita chuva e uma criança que pergunta no banco de trás "papá que hora são?", ao que o jogador responde "11h40".


Camionista fica a metros do troço do tabuleiro que desabou
A imagem de um camião dos supermercados Basko a poucos metros do troço da ponte que caiu correu os quatro cantos do mundo através das redes sociais. O condutor que viu a morte de bem perto não quer falar à imprensa do país mas Giovanni D’Alessandro, diretor-geral, quebrou o silêncio.

"Aquela é uma estrada por onde todos os dias passam os camiões. Sabemos que é muito movimentada e não costumamos circular a alta velocidade naquele percurso. Talvez tenha sido por isso que o camionista teve tempo de travar", revelou. 


Trabalhador viu o acidente numa fábrica perto da ponte
Piero Fraterrigo contou como se viveu o acidente numa fábrica que fica perto da ponte. "Ao princípio, pensei que que era material da própria fábrica que tinha caído", disse Piero. 

O choque deu-se quando chegou ao pátio da empresa e viu que faltava um troço de mais de 100 metros à ponte. "Foi impressionante. Víamos a ponte no meio da neblina sem um grande pedaço. Parecia uma ilusão ótica".

Queda começou com o "desmoronamento do pilar central"
A afirmação é de Davide Ricci à imprensa italiana, a queda começou com o "desmoronamento do pilar central" só "depois caiu tudo". "Foi como se tivesse sido atingida por um raio", acrescentou.

Motorista viu a ponte a "cair lentamente"

Alberto Lercari relatou à Rai que viu a ponte italiana a "cair lentamente". O motorista estava ao volante de um autocarro a 200 metros da tragédia. "Vi pessoas a correrem na minha direção, descalças e aterrorizadas", contou. 

O homem tinha acabado de chegar à cidade quando tudo aconteceu.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!