Indústrias da carne rejeitam estudo da OMS

Industriais dizem que cancro resulta de combinação de vários fatores.
Por Lusa|27.10.15
  • partilhe
  • 0
  • +
Indústrias da carne rejeitam estudo da OMS
Industriais de carne rejeitam o estudo da OMS sobre carne cancerígena Foto CMTV

Os industriais da carne consideram impróprio atribuir a um único fator um risco aumentado de cancro, rejeitando "firmemente" a classificação feita pela agência da Organização Mundial da Saúde que estuda esta doença.

A Associação Portuguesa dos Industriais de Carnes decidiu subscrever a posição da associação europeia sobre a classificação feita pela Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro (IARC, na sigla em inglês) que considerou que a carne processada - como bacon, salsichas ou presunto - é cancerígena para os seres humanos.

Num comentário enviado à agência Lusa, a associação dos industriais de carnes "considera inapropriado atribuir a um único fator um risco aumentado de cancro", uma vez que se trata de um "assunto muito complexo que pode ser dependente de uma combinação de muitos fatores, tais como: idade, genética, dieta, ambiente e estilo de vida".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!