Inspetores de educação escrevem ao ministro a criticar ordens recebidas durante greve

As instruções a que se referia a tutela foram contestadas pelas escolas e sindicatos.
Por Lusa|30.07.18
  • partilhe
  • 2
  • +
O sindicato dos inspetores de educação criticou esta segunda-feira as ordens recebidas durante a greve às avaliações, acusando o Governo de usar os inspetores "como polícia do Ministério da Educação" e pedindo para passarem a ter tutela do Estado.

"Senhor Ministro, os inspetores da educação não aceitam ser instrumentalizados e usados como polícias do Ministério da Educação. E não aceitam desempenhar este papel, porquanto o mesmo não se coaduna com a missão e competências da IGEC [Inspeção-Geral de Educação e Ciência] legalmente consagradas", lê-se uma carta aberta ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, esta segunda-feira divulgada pelo do Sindicato dos Inspetores da Educação e do Ensino (SIEE).

Em causa estão as ordens recebidas pelos inspetores de educação, emanadas do Ministério da Educação (ME), durante a greve dos professores às avaliações, que, de acordo com o documento esta segunda-feira conhecido, merecem da parte do sindicato "a mais profunda indignação face à atividade que alguns inspetores tiveram de realizar nos últimos dias".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!