Lâmpadas baratas saem do mercado

Proibição de venda na União Europeia em vigor no sábado.
Por Francisca Genésio|28.08.18
A partir de sábado, as lâmpadas incandescentes de halogéneo vão deixar de ser comercializadas em toda a União Europeia (UE). O objetivo da medida é promover uma iluminação mais amiga do ambiente, reduzindo as emissões de carbono.

Segundo o simulador 'Ecocasa', a substituição de pelo menos sete lâmpadas incandescentes por fluorescentes, em casa, pode gerar uma poupança anual de 93,19 euros. Um valor que poderá aumentar caso os portugueses optem por lâmpadas LED.

As lâmpadas incandescentes de halogéneo são as menos eficientes do mercado, mas são também as mais baratas, sendo possível adquirir uma por apenas um euro em várias lojas do País. No entanto, para os especialistas, esta é uma "falsa economia". Isto porque a durabilidade deste tipo de lâmpadas é, em média, de dois anos, enquanto a das LED é de 15 a 20 anos. No último estudo da Associação de Defesa do Consumidor, realizado em 2016, ficou provado que usar 11 lâmpadas LED num T1 permite poupar 207 euros, em 20 anos.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!