Mata recém-nascido após ser considerado um pai "dedicado"

Crime ocorreu dois dias depois de uma visita dos serviços sociais.
27.02.18

David Christie matou o filho de seis semanas, dois dias depois de receber uma visita de um profissional dos serviços sociais que o considerou como um pai "amável e dedicado". O caso ocorreu o ano passado em Blackpool, Lancashire, no Reino Unido.

O menino foi encontrado em estado grave em casa após uma chamada de emergência do indivíduo de 35 anos. "Salvem o meu bebé", exclamou quando os médicos chegaram ao local. No relatório divulgado, é referido que Marshall sofreu vários ferimentos internos graves, como uma hemorragia cerebral, e externos, aos quais não resistiu. O bebé morreu no hospital cinco dias depois. 

A criança encontrava-se aos cuidados do pai depois de a mãe ter sido internada para receber tratamento psiquiátrico após um ataque de esquizofrenia em janeiro de 2017. "Após o nascimento de Marshall, as autoridades consideraram que era fundamental prestar apoio e supervisão extra à família", referiu o advogado de acusação Nicholas Johnson.

Na última sessão de tribunal, o progenitor negou o homicídio e afirmou que o menino não se encontrava bem há vários dias e que o encontrou a deitar um líquido da boca meio da noite, no entanto para Johnson "a combinação de ferimentos revela que foi morto pelo pai".

O julgamento vai continuar até ser decidida a pena a aplicar.

pub

pub