Triatleta assassinado em Avis foi encontrado com um saco na cabeça

Investigada hipótese de crime passional ou ajuste de contas. Engenheiro informático tinha 50 anos.
Por Tânia Laranjo|27.08.18
Corpo de triatleta desaparecido encontrado em Avis
A PJ investiga o passado de Luís Miguel Grilo. O triatleta, de 50 anos, desaparecido há mais de um mês, foi assassinado e as autoridades procuram encontrar provas para explicar o crime. Desconhece-se, porém, se foi um ajuste de contas ou um crime passional. A mulher do atleta foi ouvida numa primeira fase, mas a PJ ainda está a recolher indícios que permitam esclarecer as circunstâncias da morte.

Neste momento, pouco se sabe. O corpo foi encontrado a 134 quilómetros de distância do local onde apareceu o seu telemóvel. Continua a não haver rasto da bicicleta e o cadáver, já analisado no Instituto de Medicina Legal de Lisboa, não dá respostas. Não há sinais de disparo de arma de fogo, há apenas fraturas ao nível da cabeça.

Mas não é líquido que seja essa a causa da morte. Luís Miguel Grilo tinha um saco na cabeça quando o corpo foi encontrado. Das duas, uma: ou alguém não queria que ele soubesse o caminho que fazia até Portalegre ou foi asfixiado. Os exames médico-legais feitos ao corpo em elevado estado de decomposição não permitem, para já, esclarecer se a morte se deveu à fratura ou a asfixia.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De euvouver sim01.09.18
    foi morto em casa levado para casa de ferias para criar um cenário de assalto e assassinato mas algo correu mal no caminho e foi largado no mato
1 Comentário
  • De euvouver sim01.09.18
    foi morto em casa levado para casa de ferias para criar um cenário de assalto e assassinato mas algo correu mal no caminho e foi largado no mato
    Responder
     
     0
    !