Portugal em Números

Relatório de 2017 diz que ainda estamos aquém da UE em áreas como, por exemplo, o acesso dos idosos à tecnologia.
Por João Ferreira e Marta Ribeiro da Silva|29.10.17
Portugal em Números
Portugal em Números Foto iStockPhoto

Em questões de tecnologia, Portugal ainda não é para velhos. Apesar de nos últimos anos o número de seniores que tratam a tecnologia por tu ter registado subida considerável, em comparação com o resto da Europa ainda estamos a milhas de distância. Em 2002, apenas 1,3% da população com mais de 65 anos utilizava computador e internet.

Em 2016, a percentagem chegou aos 28,3%. Para avaliar vertentes diversas do país, em comparação com a UE, a PORDATA lançou um novo retrato de Portugal. Numa análise geral, Maria João Valente Rosa, diretora da PORDATA, considera que Portugal "recomenda-se na mortalidade infantil porque foi o país que registou o maior decréscimo neste indicador".

No lado oposto, "não se recomenda nas áreas da tecnologia e da educação, a área mais crítica". Apesar da diminuição do abandono escolar, somos o 2º país com mais população sem ensino secundário.

No capítulo da educação, há tendências que revelam alguns sinais positivos como , por exemplo, o aumento de população com ensino superior e o facto de sermos o 7º país da UE com mais mulheres doutoradas. Outros dados: 74% das famílias tem acesso à internet, mas quando olhamos para o resto da Europa percebemos, não só estamos abaixo da média (85%), como ocupamos a 24º posição entre os 28 países.

No que se refere à população, somos o 12º país da União e temos a eletricidade mais cara. Nos fogos somos campeões absolutos à frente de Itália e Espanha. O retrato de 2017 faz o resumo de 11 indicadores sobre diversas áreas da sociedade em comparação com a média europeia. A consulta é gratuita e pode ser feita online.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!