Presidente de Angola diz em Estrasburgo que questão das migrações "envergonha"

João Lourenço afirma que há temas importantes que têm de ser falados.
Por Lusa|04.07.18
  • partilhe
  • 0
  • +

O Presidente de Angola, João Lourenço, afirmou em Estrasburgo que há matérias de "interesse comum" nas relações com a União Europeia que importa discutir, destacando a dos fluxos migratórios, uma questão que admitiu ser motivo "de vergonha".

"As relações entre Angola e a União Europeia e o Parlamento Europeu são antigas, com algumas décadas já. Temos questões de interesse comum a discutir, nomeadamente questões que têm a ver com desenvolvimento económico e social dos nossos países, questões de segurança, de necessidade de combate ao terrorismo e, sobretudo, necessidade de controlarmos a imigração que se vem verificando nos últimos anos e que em nada nos honra, antes pelo contrário, nos envergonha", disse.

João Lourenço, que falava em declarações conjuntas à imprensa com o presidente da assembleia europeia, Antonio Tajani, imediatamente antes de discursar no hemiciclo, acrescentou que, para abordar "todas essas questões", há naturalmente que "conversar", justificando desse modo a sua deslocação ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

O Presidente de Angola defendeu ainda que Europa e África têm de procurar soluções duradouras para a crise das migrações, que garantam ao mesmo tempo o desenvolvimento do continente africano.

"As soluções não são imediatas e nem serão encontradas apenas com um país, isoladamente. Eu aqui não falo de Angola em particular, mas do continente no geral, uma vez que os imigrantes não vêm de um só país, vêm de vários países do continente. Portanto, são os dois continentes, África e Europa, que devem encontrar as tais soluções que sejam duradouras", sustentou.

Em declarações aos jornalistas, depois de discursar no Parlamento Europeu (PE) em Estrasburgo, o chefe de Estado de Angola defendeu que não devem ser procuradas soluções de "duração efémera".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!