Prisão de Lula favorece Bolsonaro e Marina

Ex-presidente brasileiro caiu seis pontos nas intenções de voto desde que foi preso.
A prisão do ex-presidente Lula da Silva, que lidera a corrida para as presidenciais de outubro, praticamente inviabilizou a sua candidatura e tornou favoritos a uma segunda volta o radical de direita Jair Bolsonaro e a ambientalista Marina Silva. A reviravolta foi avançada por sondagem eleitoral do Instituto Datafolha divulgada este domingo.

Num cenário ainda com todos na disputa, Lula, que na sondagem anterior tinha 37%, aparece agora com 31% das intenções de voto, contra 15% de Bolsonaro e 10% de Marina. Mas, sem Lula, Bolsonaro passa para 17% e Marina, a mais favorecida pela ausência do ex-presidente, salta para entre 15% e 16% e ambos iriam desta forma disputar a segunda volta.

Quem também beneficiou com a provável ausência de Lula foi o seu ex-ministro Ciro Gomes, que subiu de 5% para 9%. Já os candidatos da esquerda radical Manuela d’Ávila e Guilherme Boulos, mesmo tendo ficado ao lado de Lula até este se entregar para cumprir a pena de 12 anos a que foi condenado por corrupção, não ganharam os eleitores dele, e aparecem, respetivamente, com 2% e 1%.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!