Sub-categorias

Notícia

Rússia prometeu respeitar integridade territorial da Ucrânia

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou que a Rússia se comprometeu a respeitar a integridade do país. (Atualizada às 09h17)
28.02.14
  • partilhe
  • 0
  • +
Rússia prometeu respeitar integridade territorial da Ucrânia
John Kerry, secretário de Estado norte-americano Foto Getty Images

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou que a Rússia se comprometeu a "respeitar a integridade territorial da Ucrânia", durante uma conversa telefónica com o seu homólogo russo, Serguei Lavrov.

Na conversa entre os dois ministros, ocorrida hoje de manhã, Moscovo garantiu também que não está por detrás dos problemas na Crimeia, região de maioria russófona no sul da Ucrânia, relatou Kerry.

Lavrov "declarou que os exercícios militares realizados não estão relacionados com a Ucrânia e tinham sido anteriormente programados, e também reafirmou a declaração do Presidente (russo, Vladimir) Putin, segundo a qual a Rússia respeitará a integridade territorial da Ucrânia", explicou John Kerry.

O chefe da diplomacia norte-americana falava numa longa conferência de imprensa, ao lado do seu homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier, cujo país está muito empenhado na resolução da crise ucraniana.

"Pensamos que todos devem agora dar um passo atrás e evitar quaisquer formas de provocação", insistiu Kerry, que na quarta-feira já tinha advertido Moscovo contra qualquer intervenção militar naquela ex-república soviética.

"Pedi especificamente que a Rússia trabalhe com os Estados Unidos e com os nossos amigos e os nossos aliados no sentido de apoiar a Ucrânia na reconstrução da sua unidade, da sua segurança e da sua economia", precisou.

Perante a precipitação dos acontecimentos na Ucrânia e a subida das tensões na Crimeia, onde se encontra estacionada a frota naval russa no Mar Negro, Varsóvia e Londres manifestaram hoje a sua preocupação, ao passo que Washington e a NATO instaram Moscovo a evitar uma escalada de violência.

MOSCOVO PROPÕE À “COMISSÃO DE VENEZA” QUE SE PRONUNCIE SOBRE NOVO GOVERNO (09h16)

O presidente da Câmara de Deputados da Rússia (Duma), Serguei Narinshkin, propôs, esta sexta-feira, pedir à Comissão Europeia para a Democracia através do Direito que se pronuncie sobre a legitimidade das novas autoridades da Ucrânia.

A Comissão Europeia para a Democracia através do Direito, mais conhecida como Comissão de Veneza, é um órgão consultivo sobre questões constitucionais, criado junto do Conselho da Europa.

"Proponho pedir à Comissão de Veneza que se pronuncie sobre a legitimidade das autoridades [da Ucrânia] e a legitimidade das decisões que adotaram", disse Narinshkin, na abertura da sessão plenária da Duma.

"Necessitamos de avaliar as consequências das decisões que adotaram, tanto para os nossos compatriotas que vivem na Ucrânia, como para todo o conjunto de relações russo-ucranianas", explicou o mesmo responsável.

O parlamento da Ucrânia nomeou Aserni Yatseniuk para dirigir o gabinete de ministros que governará o país pelo menos até 25 de maio, altura em que vão decorrer as eleições presidenciais antecipadas, convocadas após a fuga de Viktor Yanukóvich.

O novo Governo de transição ucraniano possui uma experiência reduzida em gestão política e inclui figuras com percursos diversos, com a particularidade de terem participado nos protestos que acabaram por afastar do poder o Presidente Viktor Ianukovich.

ÁUSTRIA CONGELA CONTAS BANCÁRIAS DE 18 UCRANIANOS (08h49)

A Áustria congelou os ativos de 18 ucranianos suspeitos de violarem os direitos humanos e de envolvimento em corrupção, anunciou esta sexta-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros em Viena. As identidades não foram, contudo, divulgadas.

A União Europeia tinha decidido a 20 de fevereiro aplicar sanções específicas, incluindo a proibição de vistos e congelamento de bens, contra uma lista de pessoas próximas ao presidente ucraniano deposto, Viktor Ianukovich.

A Áustria explicou que a medida foi tomada como "uma medida de segurança preliminar até à entrada em vigor das sanções da UE".

MINISTRO ACUSA RÚSSIA DE “INVASÃO E OCUPAÇÃO” DE AEROPORTOS (08h24)

O ministro do Interior da Ucrânia, Arsen Avakov, acusou esta sexta-feira as forças russas de "invasão armada e ocupação" de dois aeroportos nas cidades de Sebastopol e Simferopol, na Crimeia.

"Considero o que está a acontecer como uma invasão armada e ocupação em violação de todos os acordos e normas internacionais", escreveu o ministro na sua página do Facebook.

"É uma provocação direta para um banho de sangue armado no território de um Estado soberano. Isto já não está sob a jurisdição do Ministério do Interior. Isto é da competência do conselho de segurança e de defesa nacional", acrescentou.

Segundo Arsen Avakov, "unidades armadas da frota russa bloqueiam o aeroporto Belbek, perto da cidade de Sebastopol".

"Dentro do aeroporto há militares e guardas da fronteira da Ucrânia. No exterior, estão militares vestidos com camuflados e armados, sem distintivos, mas que não escondem pertencerem à frota russa do Mar Negro. O aeroporto não funciona. Não existe nenhum confronto armado", escreveu Avakok na sua página do Facebook.

Em Simferopol, a capital da Crimeia, homens armados também tomaram o controlo do aeroporto e "não escondem pertencerem às forças armadas russas".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
8 Comentários
  • De Mario Moreno28.02.14
    Na Ucrânia vivem russos e ucranianos. Tanto direito têm os ucranianos de não quererem os russos, como o russos de não quererem os ucranianos, que já disseram que não querem nada com o russos. a Crimeia é, e era russa...
    Responder
     
     5
    !
  • De sabs28.02.14
    11h59, A Ucrania não é a Georgia, mas também não é a America. Nada nem ninguém conseguirá parar uma fúria Russa. Que Deus e os nosso lideres nos livrem de tal coisa. Já agora, a NATO ignorou o povo da ossetia.
    Responder
     
     5
    !
  • De Mario Moreno28.02.14
    Os americanos pensam que podem continuar a gozar com os russos com fizeram mo tempo do Yetsin...- Agora está lá o Putin, que sabe mais a dormir, que o "Query" o os seus "Barrosos" "e Serrasmuchens" acordados...
    Responder
     
     4
    !
  • De Nobrega28.02.14
    A Ucrania e parte integrante da Russia e como tal a Russia tem o direito de proteger quer o seu povo quer o seu territorio. A Ucrania sera uma licao bem pesada para o imperialismo e seus seguidores basta esperar um pouco
    Responder
     
     6
    !
  • De v28.02.14
    A russia que se cuide e pense bem,a ucrania nao é a georgia!
    Responder
     
     7
    !

Mais notícias

Mais notícias de Cm ao Minuto

pub