Trabalhadores das administrações portuárias iniciam semana de greve

O sindicato propõe como serviços mínimos uma tripulação composta por um mestre, um marinheiro e um motorista.
Por Lusa|04.06.18
  • partilhe
  • 0
  • +
Os trabalhadores das juntas e administrações portuárias iniciam esta segunda-feira uma greve, que decorre até sexta-feira, para reivindicar a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho conseguido em dezembro, segundo o pré-aviso de greve do sindicato que convocou a paralisação.

No aviso prévio de greve, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações e Juntas Portuárias (SNTAJP) informa que a paralisação, que termina às 24:00 de sexta-feira, abrange "todas e quaisquer operações e atividades" dos funcionários dos portos de Viana do Castelo, Douro e Leixões, Aveiro, Figueira da Foz, Lisboa, Setúbal, Sines, regiões autónomas da Madeira e dos Açores e do terminal de granéis líquidos de Sines.

"A greve ora decretada visa retomar a greve a que respeita o nosso aviso prévio de greve de março de 2018, suspensa a 28 de março, por solicitação da senhora ministra do Mar [Ana Paula Vitorino], com o objetivo de num prazo de quatro semanas resolver a situação com a tutela financeira [Ministério das Finanças]", refere o SNTAJP, adiantando que, "incompreensivelmente, ultrapassados todos os prazos, a situação não foi desbloqueada".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!