Tribunal esconde escutas políticas de José Sócrates

Santos Silva e Zeinal Bava já têm as conversas que envolvem António Costa.
Por Débora Carvalho|27.04.18
O Tribunal da Relação de Lisboa impede o acesso a escutas telefónicas que envolvem José Sócrates e António Costa. Os juízes deram razão a José Sócrates num recurso contra um despacho do juiz Carlos Alexandre que tinha autorizado o acesso de todos os arguidos e assistentes às escutas que apanharam conversas entre Sócrates e vários dirigentes do Partido Socialista, incluindo o primeiro-ministro.

As escutas político-partidárias foram lacradas e depositadas num cofre do Departamento Central de Investigação e Ação Penal. A Relação entende que só a defesa de Sócrates pode ter acesso às mesmas. Contudo, as escutas já estão na posse dos arguidos Carlos Santos Silva e Zeinal Bava, desde o final de 2017.

Os desembargadores Carlos Espírito Santo e Anabela Simões Cardoso entenderam, no acórdão a que o CM teve acesso, que o recurso "não faria qualquer sentido, caso fossem respeitadas as decisões judiciais" que determinaram que as escutas sem relevo para o processo eram "tão-somente conversações de cariz político-partidário" que ficariam seladas e só acessíveis à defesa.


pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!