Juiz critica mulher vítima de agressões

Censura a alegada vítima por ter engravidado e contraído um crédito à habitação.
Por Débora Carvalho e Tânia Laranjo|04.11.17
Juiz critica mulher vítima de agressões
Um juiz do Tribunal de Viseu absolveu um homem dos crimes de violência doméstica e censurou a vítima por esta não ter fotografado as marcas das agressões e ter engravidado do alegado agressor.

O homem tinha uma espingarda de caça e uma arma de ar comprimido e foi condenado a 200 dias de multa (1600 euros) pelo crime de detenção de arma proibida. "A mera justificação de que tinha a esperança que o arguido mudasse, ou que tinha medo dele, e vergonha, não colhem minimamente. As declarações do arguido, que pretendia apenas reconciliar-se com a sua esposa, merecem credibilidade", diz o juiz Carlos Oliveira, no acórdão de 3 de outubro.

O magistrado não considerou crível que "após 4 anos de (pretensos) abusos, agressões, privações da liberdade, ameaças, a assistente aceitasse construir uma casa com recurso a crédito bancário (...) ou que aceitasse engravidar".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!