CM Não Esquece
Universidades apoiam iniciativa do Correio da Manhã

Universidades apoiam iniciativa do Correio da Manhã

Engenheiro florestal é uma profissão com muita empregabilidade.

"A floresta tem sido associada a mortes humanas, à desertificação… O último ano foi um ano negro. No entanto, tem do ponto de vista económico enormes potencialidades, mas também do ponto de vista da biodiversidade, do carbono e mesmo com as alterações climáticas. Julgo que esta iniciativa do CM faz todo o sentido", diz Fontainhas Fernandes, reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e membro da comissão de honra da iniciativa ‘CM não Esquece!".

Esta iniciativa, recorde-se, visa encontrar as melhores práticas florestais e evitar o cenário de tragédia e morte que marcou o ano de 2017. Um objetivo para o qual contamos com o contributo efetivo dos nossos leitores.

Para Fontainhas Fernandes, também presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, há uma questão que "não tem sido chamada à atenção, que é o engenheiro florestal. Não obstante ter muita empregabilidade e ter uma forte inserção na vida ativa, o engenheiro florestal é alguém que tem conhecimento multidisciplinar e pode ter um papel interventivo. No entanto, jovens não procuram esta profissão", lamenta.

"Julgo que tem a ver com o facto de estar associado com o lado menos bom da floresta, mas seria uma oportunidade em termos de futuro. Penso que a iniciativa pode chamar a atenção para os jovens da importância de uma profissão que é antiga, mas que tem novas oportunidades", conclui.