Sub-categorias

Notícia

Deco desafia consumidores a pagar menos luz

A Deco vai lançar um desafio a todos os consumidores de eletricidade para que se juntem à associação de forma a contratualizar em conjunto o fornecimento de luz, tendo como objetivo reduzir os custos da fatura e estimular o mercado liberalizado.
25.02.13
Deco desafia consumidores a pagar menos luz
Deco pretende obter em leilão preço mais competivo para a eletricidade Foto D.R.

A instituição, que lançou a campanha com o mote "juntos pagamos menos", pretende que os clientes de eletricidade adiram a esta iniciativa até 30 de abril, findo o qual a Deco fará um leilão pelo melhor preço junto dos operadores de mercado como a EDP, Galp, Endesa ou Iberdrola, entre outros, revelou a agência Lusa.

Após estarem definidos os operadores vencedores por cada tarifário, os consumidores que aderiram à campanha passarão a ter as condições de preço resultantes do leilão que a Deco tem a expetativa de ser mais baixo do que as atuais tarifas oferecidas no mercado livre. 

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
96 Comentários
  • De joanna01.05.13
    quero pagar menos luz
    Responder
     
     0
    !
  • De antonio faria quinteiro30.04.13
    Também estou interessado em pagar menos luz
    Responder
     
     1
    !
  • De josé cunha30.04.13
    somos três pessoas na familia, eu com a pré reforma de velhice de 354,48 centimos, a esposa não ganha nada e com um filho de 17 anos e no 10º ano , gostava de pagar menos energia pois a maioria da fatura são as taxas
    Responder
     
     0
    !
  • De marta santos30.04.13
    quero participar para pagar menos lus somos 4 pessoas e eu e o meu marido estamos desempregados e o que recebemos nao chega para despesas
    Responder
     
     0
    !
  • De Juliana leticia carlo30.04.13
    o valor da energia que pago é muito elevado todos os meses pago 56 ou 60euros.
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Economia

pub