Sub-categorias

Notícia

Alterações nos impostos sobre imóveis são "ataque ao imobiliário"

CPCI diz que investimento público foi adiado para 2018.
Por Lusa|15.10.16
  • partilhe
  • 1
  • +
Alterações nos impostos sobre imóveis são "ataque ao imobiliário"
Organismo critica o "ataque" a um dos setores que dinamizava a economia Foto Pedro Catarino

A Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI) defendeu este sábado que o investimento público fica adiado e considerou que "a duplicação" dos impostos sobre os imóveis proposta para 2017 é "um ataque ao imobiliário".

"O investimento público está adiado para 2018, não há referência praticamente ao plano estratégico de infraestruturas e transportes que era um compromisso até 2020", disse o presidente da CPCI, Reis Campos, à agência Lusa, comentando a proposta de Orçamento do Estado para 2017 (OE2017), apresentada na sexta-feira.

Outra questão "é o imposto sobre o património imobiliário e a alteração da tributação no alojamento local, que praticamente duplicam este imposto [sobre imóveis] porque é mais do dobro do que era a carga fiscal até agora", afirmou o responsável.

Para a CPCI, "no fundo, o que estão a pôr em causa é aquela que era uma das poucas alternativas à dinamização da economia, à criação de emprego e naturalmente não contribui nada para o crescimento tão necessário para o país".

Reis Campos disse ainda que "este agravamento que agora é proposto vai naturalmente implicar indiretamente", os casos das pessoas que precisam de casa para arrendar ou daquelas que querem comprar, atingindo "uma classe com deficiência de recursos".

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Economia

pub