Sub-categorias

Notícia

Ondas de milhões abandonadas

Arrancou na Póvoa de Varzim, em Setembro de 2008. Com mais de dois anos de atraso, o projecto ‘Parque de Ondas da Aguçadoura’ era a grande aposta de Manuel Pinho, ministro da Economia do Governo de Sócrates. A iniciativa, que pretendia gerar energia a partir das ondas do mar, acabou por não resultar – e a infra-estrutura, que custou milhões, está agora ao abandono no porto de Leixões.

26.04.12
  • partilhe
  • 0
  • 0
Ondas de milhões abandonadas
Os tubos vermelhos, capazes de iluminar 1500 casas, estão parados junto aos barcos, em Leixões Foto NUNO FERNANDES VEIGA

O projecto, avaliado em nove milhões de euros, teve uma participação de 15% do Estado. Foi então criada a Companhia da Energia Oceânica, uma empresa operacional com a participação da Enersis (à data, detida na totalidade pela Babcock & Brown) e da Pelamis Wave Power, que construiu a infra-estrutura. A EDP também entrou na iniciativa como parceira, já que é proprietária do cabo que transfere a energia do mar para a terra.

O Parque de Ondas da Aguçadoura foi concebido para acolher três máquinas Pelamis, que deviam produzir o suficiente para iluminar 1500 casas. No entanto, e depois de um arranque promissor, o projecto não funcionou. As condições climatéricas, as particularidades do local e as avarias técnicas terão estado na origem do mau funcionamento das máquinas – e terão ditado o fim da ambiciosa iniciativa, menos de um ano depois da instalação.

A infra-estrutura foi então retirada da Aguçadoura e transportada para o porto de Leixões, onde ainda se mantém. Contactada pelo nosso jornal, a administração do porto remeteu-se ao silêncio, garantindo que não teve qualquer envolvimento no projecto. A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim diz apenas que não teve responsabilidades na iniciativa e Paulo Martins, representante da Pelamis em Portugal, afirma que o projecto nunca foi comparticipado pelo Estado. "A máquina avariou e foi substituída. Era apenas um protótipo que foi instalado sem garantia de compra", adianta.

Qual é o seu nível de satisfação ao ler esta notícia?
  • Muito insatisfeito
  • Muito satisfeito

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)

Mais notícias

Mais notícias de Economia

pub