Quotas da sardinha baixam há cinco anos

Reunião para decidir quota do próximo ano com a Direção-Geral de Pescas sem decisão.
Por Tiago Griff|18.12.14
  • partilhe
  • 0
  • +
Quotas da sardinha baixam há cinco anos
Célsio Mendes (ao centro) queixa-se da constante redução das quotas da pesca da sardinha Foto Luís Costa

As associações de pescadores da região estão reticentes quanto à reabertura da pesca da sardinha, em janeiro de 2015, devido à drástica redução das quotas que tem sido uma constante nos últimos cinco anos. O novo acordo das quotas de pesca entre o Governo português e a União Europeia não os vai afetar.

"Há cinco anos apanhávamos cerca de 50 mil toneladas de sardinha por ano. Em 2014, as quotas nem chegaram às 14 mil toneladas", lamentou ao CM Célsio Mendes, pescador em Quarteira. "Este ano parámos de pescar durante o mês de setembro. São três meses em terra e os subsídios não chegam para tudo. Estamos estrangulados", alerta o pescador.

O acordo entre o Governo e Bruxelas, que aumentou as quotas de pesca global em 18 por cento, não afeta estes pescadores, já que a sardinha é regulada internamente pela Direção-Geral de Pescas (DGP). Mesmo a subida das quotas do carapau e cavala não traz grandes benefícios, pois "são peixes com pouca expressão porque são muito baratos", diz ainda Célsio Mendes.

pub

pub