Sub-categorias

Notícia

Engenheiro mata com neta ao colo

Imagens desmentem tese de que homicídio aconteceu após advogado levar a mão ao bolso.
22.02.11
  • partilhe
  • 0
  • +
Engenheiro mata com neta ao colo
Cláudio tenta fugir. Ferreira da Silva continua a disparar Foto DR

António Ferreira da Silva matou o ex-companheiro da filha, o advogado Cláudio Rio Mendes, enquanto tinha a neta ao colo. As imagens do homicídio, retiradas de um vídeo amador, comprovam que a menina, de quatro anos, assistiu ao momento em que o pai foi assassinado com cinco tiros, a 6 de Fevereiro, no parque da Mamarrosa, em Oliveira do Bairro.

O confronto entre a família da juíza, Ana Carriço, e o advogado, de 35 anos, começa quando a menina se recusa a estar junto do pai. Cláudio tenta continuar perto da criança, mas a juíza, juntamente com a mãe, a tia-avó e um vizinho tiram-na à força. Por esta altura, já o engenheiro, de 62 anos, pegou na arma. O revólver .32 cai ao chão e o homicida apanha-o. Os confrontos sucedem-se: a menina é entregue ao avô, enquanto a tia-avó de Ana agarra o advogado.

"Façam as campanhas que quiserem, eu também tenho aqui testemunhas", grita Cláudio, enquanto dá um estalo à tia-avó.

A mulher cai ao chão e, ao contrário da tese da defesa, que alegava que o advogado tinha colocado a mão ao bolso fingindo que tinha uma arma, Cláudio permanece imóvel. Ferreira da Silva, ainda com a neta ao colo, pega no revólver e, sem hesitar, dispara, atingindo a vítima no peito. Ana Carriço grita, horrorizada, mas Ferreira da Silva não pára. Volta a disparar uma segunda vez e o tiro passa ao lado. Desesperado, o advogado tenta fugir, mas o homicida dispara mais quatro vezes, acertando-lhe nas costas. Mesmo já sem balas, o engenheiro continua a disparar em seco. "Acabou, acabou, acabou", grita o homem.

Segundos depois, Ferreira da Silva entrega a neta à filha e pede--lhe que vá embora. Conceição, namorada do advogado, que estava grávida de seis meses, e a sobrinha, que filmava a discussão, só se apercebem de que a arma é verdadeira quando Cláudio cai ao chão. "O que é que você fez? Isto é uma arma de verdade?", pergunta Conceição.

Antes de sair do local, o engenheiro ainda diz: "Vou entregar--me à polícia."

"AMO-TE FILHOTA", DISSE CLÁUDIO NO FACEBOOK

No dia anterior ao da tragédia, Cláudio deixou uma mensagem no Facebook: "Amo-te filhota! O papá hoje foi humilhado, fizeram-lhe mal, fizeram-te mal! Mas tu nem o sentirás e o papá irá compensar-te desta privação humilhante, prometo-te querida! Até amanhã às 11, vamos ter duas horas só para nós! A vida é bela!"

No dia seguinte, Cláudio chega ao Parque da Mamarrosa acompanhado pela namorada (Conceição) e pela sobrinha da namorada (Liliana). Estas garantem que a menina brincou feliz com o pai até que este foi ao carro para ir buscar comida para dar aos patos. Depois, a menina terá falado com a família da mãe e, desde aí, rejeitou a aproximação do pai. Tudo se descontrolou.

INDICIADO POR HOMICÍDIO SIMPLES

Ferreira da Silva foi indiciado por homicídio simples e ficou em prisão preventiva por decisão do juiz de Águeda. Segundo Paulo Brandão, juiz-presidente da Comarca do Baixo Vouga, a juíza encarregue da regulamentação do poder paternal fez várias recomendações à mãe da criança, que não foram respeitadas. "Um relatório efectuado por uma psicóloga, que acompanhava o processo, sugeria uma reaproximação da criança ao pai", revelou o magistrado, adiantando que foi proposto à mãe da criança que as visitas fossem efectuadas na Segurança Social. "Também foi dito que avisasse os seus pais para evitar discussões", confirmou ao CM.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Exclusivos

Exclusivos

Pedro Dias matou a sangue frio

Pedro Dias matou a sangue frio

Perita diz que homicida apontou sempre à cabeça. No caso de Liliane, já estava inanimada quando foi atingida pela segunda vez.

pub