Os ditadores da democracia também se abatem

A censura existia e combatia-se. A PIDE fez várias vítimas e foi desmantelada. Este Governo parece ufano e orgulhoso na exibição das reminiscências do antigo regime.
08.07.07
  • partilhe
  • 0
  • +
Os ditadores da democracia também se abatem
Nos debates políticos deixou de existir o costume da ‘direita’ nunca estar de acordo com a ‘esquerda’ e vice-versa. No período pós-25 de Abril era inimaginável verificar sintonia de uma mera ideia entre Álvaro Cunhal e os seus sequazes e os prosélitos de outra figura incontornável da democracia portuguesa, Sá Carneiro. A queda do muro de Berlim e a desagregação da União Soviética conferiu uma nova geopolítica ao Velho Continente. A ortodoxia comunista deixou de fazer sentido. O PCP tentou remar contra a maré em nome da natureza da intervenção do líder histórico (Cunhal), mas viu-se obrigado a abrir as suas fronteiras, confrontado com ventos soprados de vários quadrantes. Sem ‘cortina de ferro’ para sustentar a sua representação atlântica, o PCP teve de contraditar a própria natureza e vem tentando fazer algum ‘músculo’. Esquerda e direita encontram-se no centro totalitário.
A liberdade de expressão e a consagração da livre imprensa foram conquistas nem sempre valorizadas. Não podemos esquecer os que foram vítimas da falta delas e os verdadeiros cabouqueiros da democracia. Esta não pode ser responsabilizada pelas suas fragilidades e imperfeições (deducentes da consagração do sistema capitalista), apenas porque alguns ‘profissionais da política’ não têm sabido respeitar a perenidade dos ‘conteúdos ideológicos’ que as estruturas partidárias vêm destruindo perigosamente.
A sanha persecutória contra a liberdade de imprensa conheceu um momento alto no Governo liderado por Santana Lopes. Certos ‘democratas’, desrespeitando todos os que se esforçaram por combater a censura e associados parasitas das máquinas partidárias, fizeram tudo para açaimar a comunicação social, como se tivessem a tratar cães raivosos. A direita e o centro-direita, neste particular, nunca foram um bom exemplo. A ‘inveja’ do Governo de Sócrates não faria qualquer sentido se a ‘esquerda democrática’ tivesse sabido delimitar o seu território. Esquerda e direita confundem-se nesta tentativa de captura do pensamento. Os ditadores da democracia também se abatem. A ‘nacionalização’ da comunicação social parece inevitável. Para ela muito contribuíram todos aqueles que, em nome da liberdade, colaboraram com a censura. Começando pelos jornalistas (comunistas) e por um Sindicato falso como Judas.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!