Mulher que diz ter sido vítima de ataque sexista no trabalho perde caso em tribunal

Canadiana de 49 anos acusou colegas de a terem acorrentado a uma cadeira e amordaçado.
16.08.18
  • partilhe
  • 0
  • +
Mulher que diz ter sido vítima de ataque sexista no trabalho perde caso em tribunal
Foto Direitos Reservados
DeeAnn Fitzpatrick, uma funcionária do governo escocês, acusou os seus colegas de trabalho de a terem amarrado a uma cadeira e amordaçado, e de terem proferido vários ataques verbais e insultos, naquela que esta diz ter sido uma campanha sexista.

A canadiana, que travalhava na Marinha da Escócia, na área da pesca, disse em tribunal que as provocações das quais foi alvo a levaram a pensar em suicídio. No entanto, tal não foi suficiente para convencer o juiz do tribunal que avaliou o caso, nem mesmo uma fotografia que mostrava a mulher acorrentada e amordaçada. DeeAnn perdeu o caso na justiça.

O caso remonta ao ano de 2010, altura em que a mulher alegou ter começado a receber cartões de aniversário e do dia dos namorados com mensagens ofensivas nas quais era chamada de adjetivos depreciativos. Desde então que a canadiana começou a desconfiar dos colegas de trabalho e confessou ter pensado em tirar a própria vida.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!