Sub-categorias

Notícia

Mulher que obrigou amante do marido a andar nua na rua não está acusada de tortura

Vingou-se depois de descobrir traição do companheiro. Rapou o cabelo e as sobrancelhas da rival.
Por Pedro Zagacho Gonçalves|16.07.17
Mulher que obrigou amante do marido a andar nua na rua não está acusada de tortura

Uma mulher obrigou a amante do marido a desfilar nua pelas ruas da localidade da Berreto, em São Paulo. Antes da jovem ser humilhada em público, a mulher rapou-lhe o cabelo e as sobrancelhas com uma lâmina de barbear.

A mulher filmou o ataque à rival, depois de descobrir que o marido mantinha uma relação com a rapariga desde março deste ano. Com a ajuda de duas amigas, sequestrou a jovem de casa de um cunhado, exibindo-a depois do ataque junto a locais conhecidos pelo tráfico de droga.

"Ainda bem que você não quer ele. Ele pode ficar com qualquer uma, menos com você, porque você é tirada da favela. Apesar de que ele também, né?! Dois tirados da favela não dá nada", diz a mulher enquanto conduz, no vídeo que depois foi partilhado nas redes sociais.

Tudo aconteceu a 22 de junho deste ano e a Polícia Civil já está a investigar. As autoridades detiveram a mulher responsável, que não está acusada pelo crime de tortura, como entende a Ordem de Advogados de Barreto, mas sim pelos crimes de lesão corporal, sequestro e cárcere privado qualificado, escreve o site G1.

"Pelas declarações da vítima, o que poderia caracterizar crime de tortura é que a investigada exigia que ela confessasse que tinha um relacionamento com o marido dela. No crime de tortura, você provoca sofrimento, dor, para extrair confissão. Não sei se isso seria enquadrado nesse caso", explica o delegado Marcos Eduardo Marques.

O caso chegará agora a tribunal, onde serão ouvidas testemunhas e a responsável pelo ataque à amante do marido. "Espera-se que ela não negue os crimes, até porque aparece no vídeo depois divulgado", afirma Marques.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Mundo

pub