Paramédico faz sexo com doente após pedido de emergência

Em tribunal ficou provado que a paciente tinha sérios problemas de saúde mental.
26.08.18

Um paramédico terá tido relações sexuais com uma paciente vulnerável que chamou os serviços de emergência a sua casa, no Reino Unido.

Trevor Finnerty alegou ter sido chantageado e aliciado a fazer sexo no quarto que foi convidado a visitar pela mulher. De acordo com a imprensa britânica, o homem terá enviado uma mensagem à mulher a perguntar se gostou do serviço prestado.

Algum tempo depois da visita, a mulher chamou a polícia e deu o alerta do sucedido. Em tribunal ficou provado que a paciente tem sérios problemas de saúde mental.

Finnerty teria já uma carreira de 30 anos nos serviços de emergência quando foi expulso da ordem dos paramédicos depois de ser submetido a uma audiência no Serviço de Tribunal de Profissões de Saúde e Cuidados.

Trevor disse que se recusou a ter relações sexuais mas a mulher ameaçou-o dizendo que iria contar ao chefe que ele a tinha violado se ele não fizesse sexo com ela.

Em tribunal o homem descreveu o encontro como "bastante erótico" desde o início da chamada. Em sua defesa, o homem considera-se a principal vítima do caso.

"É indiscutível que envolver-se em atividade sexual com um paciente violou os padrões de conduta apropriados e que prejudicou a profissão de Finnerty", garantiu um responsável pelas investigações, citado pelo Metro.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!