Vencer o terror

Ana Gomes

Vencer o terror

Pagaremos duramente na Europa, onde continuamos de mãos atadas.
  • 0
  • 4
Por Ana Gomes|23.12.16
  • partilhe
  • 4
  • 0
Está perigosa a ‘aldeia global’ em que vivemos: o mal que golpeia Berlim, Istambul, Amã ou Alepo afeta-nos a todos. E não estamos a salvo no nosso jardim à beira-mar plantado. Mas mesmo com forças de segurança de sobreaviso - como estavam as alemãs quanto à ameaça de ataque terrorista a um mercado de Natal - é impossível travar o destravamento suicida de quem tem contas a ajustar com um mundo que não entende como seu.

Pagaremos por muitas gerações o tormento que deixamos infligir ao povo sírio, com Alepo a inspirar ‘lobos solitários’. Pagaremos o fraquejar de Obama ao esquecer as linhas vermelhas que havia traçado. E a fraqueza dos governos europeus que acenaram ‘no-fly zones’ e corredores humanitários para proteger o povo sírio mas deixaram o vazio que Putin ocupou. E que continuaram a vender armas e a fazer outros negócios com monarquias do Golfo financiadoras dos terroristas que continuarão ativos no Grande Médio Oriente. Pagaremos pela Turquia, que descamba para o islamo-fascismo (afinal foi um homem da segurança presidencial quem assassinou o embaixador russo...). Pagaremos duramente na Europa, onde continuamos de mãos atadas, por uma política económica absurda que, ao arrasar o crescimento, fomenta insegurança que alimenta populismos. E onde fazemos o jogo dos terroristas ao deixar refugiados e migrantes entregues às redes da criminalidade.

À hora a que escrevo, o(s) assassino(s) de Berlim ainda não foi apanhado. Admite-se que seja um infiltrado entre genuínos refugiados. A Alemanha não pode sucumbir ao discurso do ódio e do medo e não pode continuar a sobrepor interesses a valores. Na América que elegeu Trump, resiste-se ao ódio entoando ‘Love trumps hate’ (o amor vence o medo). No mesmo tom, para vencer terror e ódio, no mercado de Natal atacado alemães e refugiados espontaneamente entoaram ‘We are the world’!n
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)