Por Cristina Ferreira de Almeida|01.07.16
  • partilhe
  • 0
  • 0
O Presidente da República foi a Casablanca, Marrocos, numa viagem que durou oito horas. Seria de pensar que em oito horas não há tempo para cometer erros, mas não foi assim: apesar do Ramadão, Marcelo Rebelo de Sousa terá aceite as tâmaras e doces que foram postos à sua disposição no encontro com o rei Maomé VI.

Manda o protocolo que, caso aceite as tâmaras, as deve meter no bolso para comer mais tarde, mas Marcelo estava com fome e exerceu o seu direito de não-muçulmano de comer durante o dia.

O problema é que muitos dos que rodeiam o rei Maomé VI são obcecados pela leitura dos sinais e o gesto foi entendido como uma manifestação pública de fé cristã.

É um problema das cortes, não acreditarem em gestos casuais.
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)