E porque não?

Filipe Preces

E porque não?

Sistema formal de justiça prefere refugiar-se no espesso manto do segredo de justiça.
  • 1
  • 240
Por Filipe Preces|29.08.17
Em todo e qualquer processo, um momento acontece em que a consolidação dos indícios probatórios recolhidos impõem que se promovam e realizem diligências com visibilidade pública, mormente buscas e detenções.

Quando os processos envolvem indivíduos de elevada notoriedade social e/ou política, esta revelação faz nascer outros tipos de processos: o mediático e o político.

Nestes casos, o processo judicial funciona como fonte legitimadora daqueles outros processos, alimentando-os, sendo certo que os termos em que o faz são, a mais das vezes, desconformes com a realidade processual. E porquê?

Antes de mais e para aquilo que por ora nos interessa, por insuficiência comunicacional do sistema formal de Justiça que, perante um assunto de relevante interesse público, prefere refugiar-se no espesso manto do segredo de Justiça ao invés de revelar o suficiente e o necessário para cortar cerce veleidades especulativas na arena mediática.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)