Bronca na codificação

José Manuel Silva

Bronca na codificação

As novas ferramentas informáticas não foram testadas.
  • 0
  • 0
Por José Manuel Silva|26.01.17
  • partilhe
  • 0
  • 0
O financiamento da produção do internamento e de parte do ambulatório dos hospitais baseia-se nos chamados Grupos de Diagnóstico Homogéneo (GDH). A codificação dos GDH, efetuada por médicos especialistas nesta difícil e complexa avaliação, baseava-se no sistema de classificação de doenças ICD-9. Há cerca de dois anos, a ACSS entendeu que se devia evoluir para o ICD-10.

Sem consultar os profissionais do terreno, foi imposta a data de 1 de janeiro de 2017 para se efetuar esta transição. A (má) estratégia de mudança tem sido um desespero! Em setembro de 2016, como se fosse um processo simples (que não o é), começaram algumas mal preparadas experiências-piloto de formação dos médicos codificadores, alargadas depois de forma desorganizada, chegando a colocar-se 100 formandos dentro de uma exígua sala...

As novas ferramentas informáticas não foram devidamente testadas. As diferentes plataformas informáticas não foram integradas. A ACSS não dispõe a tempo inteiro de qualquer elemento médico com competência na importantíssima área da codificação, para além de um órgão consultivo que reúne ocasionalmente. Para resumir a história, tudo está a correr mal e nada funciona!
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)