Sub-categorias

Notícia

Por António Marinho e Pinto|08.12.14
  • partilhe
  • 0
  • 9
Congresso do apagão

Quem assistiu ao congresso dos socialistas portugueses realizado no fim da semana passada ficou com a ideia de que o novo líder António Costa sucedeu a António Guterres, dado o apagão sobre os nomes e as lideranças de José Sócrates e de António José Seguro. O silêncio sobre a prisão de Sócrates foi ensurdecedor e só pode significar o medo que se apossou dos novos dirigentes do PS pelo que se está a passar com o antigo líder do partido. Tratou-se de um ato primário de fingimento, tanto mais incompreensível quanto é certo que a sua prisão é inquestionavelmente um facto político.

Com efeito, a prisão de Sócrates é um acontecimento que pertence tanto à justiça como à política. Tem a ver com todos nós. Não é apenas um problema do cidadão que está preso; é, sobretudo, do partido e do país que ele governou. Não é apenas do passado, é também do presente e, principalmente, do futuro. Por isso, enquanto esta questão não estiver resolvida, o PS ficará numa espécie de quarentena política. Mais do que escutar José Sócrates, o país precisa, urgentemente, de ouvir o que tem a dizer o PS.

Sejamos claros: ou Sócrates está inocente ou é culpado. Não há outra solução para o problema criado com a sua prisão. Sócrates é daqueles suspeitos sobre os quais não poderá haver meios-termos. Se é inocente, então devemos mobilizar-nos todos para acabar de uma vez com esta justiça e correr com este tipo de magistrados. Mas se é culpado, então o PS deve dar, rapidamente, explicações ao país, sob pena de poder ser ele a desaparecer como aconteceu na Grécia com o PASOK do clã Papandreou ou na Itália com o PS do capo Betino Craxi.

Meter a cabeça na areia ou tentar esconder-se atrás da sua própria sombra pode agradar muito ao séquito clientelar que rodeia a direção socialista, mas é cada vez mais incompreensível para um povo que já não suporta esta forma de fazer política.

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De Zemba08.12.14
    E como é que o Soares foi visitar o Sócrates, (que comparado com ele é um anjinho), e não ficou detido! Se calhar foi-lhe aconselhar, como escapar à Justiça!
5 Comentários
  • De Sousa-da-Ponte09.12.14
    Só há uma coisa de que a gentalha que nos governa tem medo: de ser afastada do poder. E só há uma forma de a afastar do poder: Elegendo deputados não afectos ao arco do poder (PS,PSD,CDS) ou seus acólitos (PCP,BE) Só votando e elegendo deputados não comprometidos com o actual regime conseguiremos melhorar a qualidade da governação em Portugal.
    Responder
     
     0
    !
  • De  Anónimo 09.12.14
    Marinho Pinto é um advogado ressaibiado com a magistratura...por que será? Não conseguiu aceder a ela??? Depois, dá uma no cravo e logo outra na ferradura... não é certo nem é de confiança...
    Responder
     
     2
    !
  • De OscarLambuças08.12.14
    Ainda vamos ver este em Évora a visitar um tal fulano...
    Responder
     
     -2
    !
  • De alem mar08.12.14
    Penso que Marinho Pinto que eu ate tinha alguma simpatia comeca a entrar por caminhos sinuosos que podem como aconteceu com o PRD esse sim tendo um Grande Homem das liberdades na sua frente o General Ramalho Eanes desaparecer muito mais rapido do que o PS.Sr Marinho Pinto va com calma se Socrates for culpado que pague.Mas pela sua maneira de ver o PSd nao tendo um Primeiro Ministro preso tem e continua a ter alguns uns em prisao e outros com liberdade condicionada,antes do caso Socratas,.
    Responder
     
     -1
    !
  • De Zemba08.12.14
    E como é que o Soares foi visitar o Sócrates, (que comparado com ele é um anjinho), e não ficou detido! Se calhar foi-lhe aconselhar, como escapar à Justiça!
    Responder
     
     4
    !

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)