Interrogatório judicial

António Marinho e Pinto

Interrogatório judicial

Porque é que um homem pode prender um antigo primeiro-ministro sem culpa formada e sem justificar a decisão perante o país?
Por António Marinho e Pinto|25.05.15
  • partilhe
  • 0
  • 10
Interrogatório judicial

Quem o escolheu e lhe deu esses poderes? Prestou ele juramento? Que jura fez? Perante quem?

Como se recrutam os juízes? Como são formados? Quantos familiares deles eram ou se tornaram magistrados? Quem corrige os seus erros? Quem pune os seus delitos? Se os tribunais administram a justiça em nome do povo, onde nasce essa legitimidade popular?

Quem garante a honestidade de todos os juízes? Quem garante que todos são incorruptíveis? Quantos já foram condenados por desonestidade ou por corrupção? Porque é que, mesmo reformados, só podem ser presos em flagrante delito e gozam de foro próprio e um antigo primeiro-ministro não? Porque é que nunca nenhum juiz esteve preso em Portugal? Conhecerão eles as prisões para onde mandam os outros cidadãos?

Porque é que podem usar armas sem licença? Porque é que o Estado lhes paga as viagens nos transportes públicos, incluindo na 1ª classe dos comboios Alfa da CP, e as viagens aéreas entre as regiões autónomas e o continente, mesmo para férias? Porque é que estão isentos de custas judiciais e podem patrocinar familiares e a si próprios como se fossem advogados? Porque é que podem entrar nas discotecas sem pagar consumo mínimo, ir ao futebol sem pagar bilhete e têm livre-trânsito nos navios acostados nos portos, nas casas e recintos de espetáculos e nas associações de recreio?

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De ZédaAustralia25.05.15
    E assim se compreende porque é que os politicos corruptos quando väo a tribunal ficam sempre inocentes ou na pior das situaçoes...apanham penas suspensas. O qued eu gostave de saber é como vamos acabar com esta fantochada!
5 Comentários
  • De carmom25.05.15
    Qual é a diferença entre um ex ou actual 1º ministro e outro cidadão
    se tiver cometido crimes?Mais, se tem responsabilidades governativas,mais obrigação tem de ser correcto Não pode ser um homem a mandar prender? Então tem que ser um ultra-terrestre.
    Responder
     
     0
    !
  • De fariseu25.05.15
    Dantes acusava os políticos de ganharem muito. Agora diz o que ganha em Bruxelas mas não o compartilha com os necessitados. É mais um "bocas", um "papagaiio" entre muitos. Não pode ver a ministra(?) da Justiça porque lhe fez frente numas eleições para a Ordem. Mas, quem o conhece de Coimbra, como eu, poderá questionar a sua competência como causídico. A que grandes causas está o seu nome ligado? Mas h´mais advogados que querem da política o que não conseguem na profissão.
    Responder
     
     -3
    !
  • De ZédaAustralia25.05.15
    E assim se compreende porque é que os politicos corruptos quando väo a tribunal ficam sempre inocentes ou na pior das situaçoes...apanham penas suspensas. O qued eu gostave de saber é como vamos acabar com esta fantochada!
    Responder
     
     2
    !
  • De Koala Costa25.05.15
    Quantos estão na situação do preso 44 e o senhor nunca se deu ao trabalho de falar neles!... Porque será ?
    Responder
     
     -1
    !
  • De JaimeB25.05.15
    Pois é, Dr. Marinho Pinto (nunca percebi se tem "e Pinto" ou se não tem o dito"e"), V. Exª, de início, convenceu-me, mas estando atento, é mais um popular, tendendo invariavelmente para o populismo! Não consegue fugir à mediania politiqueira e apenas reforça a ideia que me invadiu com o 2º mandato de Sócrates e com toda a vil "miudagem" que agora nos governa. Vou votar no meu nome, como tenho dito: BRANCO. Não o quero sujar... Olhe, estou "liso", aceita ser meu advogado, graciosamente? Repetir?
    Responder
     
     1
    !

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)