Espanto nosso

Raul Vaz

Espanto nosso

Costa sabe que a geringonça é o que é e não é para repetir.
  • 0
  • 10
Por Raul Vaz|01.09.17
  • partilhe
  • 10
  • 0
António Costa trocou umas migalhas do Orçamento do Estado por um "assalto ao castelo" de quem produz um por cento do PIB nacional? Não é pensável, nem nas contas maquiavélicas do chefe do Governo. Costa é um moderado, sabe que a geringonça é o que é e não é para repetir e tem, no processo de decisão, sentido de Estado.

Já disse que a estabilidade é "importante". Acontece que as empresas, as famílias, os clubes, as corporações e demais são pessoas e afirmam-se por quem em determinado tempo vive esse tempo.

A Autoeuropa não merece a veia esclerosada do Partido Comunista que tudo procura destruir quando o esforço de uma construção contaria as suas teias ideológicas. Sejamos verdadeiros: junte-se Arménio Carlos, Kim Jong-un, Nicolás Maduro, Jerónimo de Sousa e alguns puxa-sacos sem espinha e teremos uma sociedade sem divergências ou conflitos: o povo que se lixe desde que tenha direito àquilo que o Estado dá.

É contra isto, por empresas que desafiam o futuro, que António Costa deveria propor um consenso alargado a dois terços. É por isso não acontecer que António Chora e qualquer cidadão com respeito pelo outro se diz "espantado".
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)