Vieira quer ser “camelo” muitos anos

Ricardo Tavares

Vieira quer ser “camelo” muitos anos

Desinteressada e ímpar dedicação do presidente do Benfica comove.
  • 0
  • 0
Por Ricardo Tavares|07.10.17
  • partilhe
  • 0
  • 0
A recente Assembleia Geral (AG) do Benfica, das mais tristes de que se guarda memória, foi vergonhosa por três razões: as obscenidades do presidente, o benfiquismo interesseiro de uma fatia de sócios – os que se lembram do lema ‘E pluribus unum’ apenas nas ocasiões de glória – e os incidentes que envolveram o ‘vice’ da AG, Duque Vieira, dirigente com a coragem de no rescaldo elogiar a "claque maravilhosa" dos encarnados, sim, essa mesma que, para Justiça atuar, não existe, e, principalmente, Jorge Arrais, 85 anos, 1º secretário da AG, décadas e décadas de dedicação à moda antiga, ou seja, desinteressada, por ser premiado com uma cadeirada.

O obsceno presidente, que, vá lá, não mandou alguns sócios à bardame... (‘pi’), disse verdades insofismáveis, mas esqueceu-se que os portugueses não gostam de Desporto, talvez nem de futebol, mas, sim, de clubes. E por eles pode ficar-se cego, não se enxergando, portanto, que se ganha e se perde.

A boa gestão no Portugal desportivo é esmagada se, no momento, o futebol não soma vitórias, mesmo depois de épocas a colecionar êxitos. Mas nem essa crueldade faz com que Luís Filipe Vieira queira deixar de ser "camelo". Entende-se, assim, que prometa "cá ficar muitos anos".

Esta desinteressada e ímpar dedicação comove os benfiquistas, que sonham com os 300 mil sócios, com um onze de jovens do Seixal, com a espinha dorsal da Seleção e com a conquista da Champions.
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)