Democracia ou Secretaria

Rui Moreira

Democracia ou Secretaria

Serei um candidato independente e não me ocorreu fugir ao problema apanhando a boleia de um partido.
  • 0
  • 1154
Por Rui Moreira|12.03.17
A Assembleia da República aprovou, com os votos do CDS-PP, PS e BE, alterações à lei eleitoral, que permitirão eliminar um fator de incerteza que, em 2013, derrotou na secretaria várias candidaturas independentes. Para que se perceba, estas candidaturas têm que apresentar mais cedo que os partidos os seus candidatos para que possam recolher as assinaturas (processo de que estão dispensados os partidos). Durante esse período, não podiam alterar nomes nas suas listas, nem sequer em caso de morte de um candidato.

Tenho para mim que o legislador, quando elaborou a lei, não quis prejudicar as candidaturas independentes, criando um fator de imponderabilidade que, no limite, poderia derrotar na secretaria uma candidatura, contra a vontade do eleitorado. Mas, não querendo, criou uma desigualdade. E, pior, criou um problema à democracia.

Constatado o erro, que vem sendo sublinhado há mais de dez anos e teve maior visibilidade quando há quatro anos um candidato ficou a onze dias das eleições impedido de concorrer, a Assembleia da República não tomou a decisão de o corrigir, por manifesta falta de vontade política.

Veio a fazê-lo agora, após o meu apelo a todos os partidos com representação parlamentar, a que responderam CDS-PP, PS e BE. As alterações sexta-feira aprovadas não resolvem, ainda, todas as assimetrias – continua a ser mais complexo montar uma candidatura independente – mas, pelo menos, corrigem o maior problema: o da imponderabilidade.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)