Decisões de verão

Sofia Peralta

Decisões de verão

As férias em família são consideradas momentos de risco.
  • 0
  • 0
Por Sofia Peralta|27.08.17
  • partilhe
  • 0
  • 0
Decisões de verão
E foram felizes para sempre, é o final  que todos esperam. Mas a vida a dois, a três ou a quatro, o desejo de liberdade e até a facilidade em recorrer à justiça, acabam por favorecer um grande número de casamentos desfeitos/divórcios. Mas será possível proteger os casamentos de um final infeliz? Porque razão os divórcios pós-férias se estão a tornar tão frequentes? As férias em família são consideradas momentos de risco ou até um pré-estádio de rutura.

Estas promovem um confronto com uma realidade ‘podre’ previamente existente. Passar 24 horas com a família, com os pequenos grandes contratempos do funcionamento da mesma, ouvir as birras dos filhos, as acusações veladas do parceiro, a falta de disponibilidade interna e de espaço para o outro, potencializam ou tornam evidentes as fissuras existentes na aparente estabilidade conjugal.

Quando assim acontece, as férias de verão deixam de ser encaradas como um período de renovação da relação para se tornarem numa guerra surda e quantas vezes mortal. Mas sobreviver é possível. Primeiro: identificar o problema; segundo: tomada de decisões conjuntas, e por fim o encontro de soluções. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza e poderá salvar a sua, as vossas vidas.
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)