Aprender fazendo

Teófilo Santiago

Aprender fazendo

Investigação criminal pouco ou nada tem a ver com glamour das séries.
  • 0
  • 178
Por Teófilo Santiago|25.11.16
A inexistência no mercado de manuais que ensinem a investigar crimes é queixa/lamento recorrente de muitos jovens que pretendem que o seu futuro profissional desague numa atividade que se lhes afigura aliciante - muitos deles fascinados e inspirados pela abundante filmografia existente sobre um tema que absorve e seduz.

A investigação criminal é um "mundo" aliciante e apelativo mas que pouco ou nada tem a ver com o glamour, fantasia e capacidades ilimitadas que a maior parte das séries de maior sucesso  mostram e fazem sonhar muitos. É muito mais que isso!

É uma atividade exigente, complexa e sensível - exclusivamente ao serviço da Justiça - que se entrecruza, convive e lida diariamente com o(s) pior(es) que as sociedades têm. Isso exige qualidades, capacidades, conhecimentos técnicos e outros saberes que só a vida dá. Capacidades que se podem aumentar e melhorar pelo treino, técnicas e conhecimentos que se podem adquirir e aperfeiçoar pelo ensinamento e estudo, em manuais de qualidade.

Literatura que ajuda muito - sobretudo a não cometer erros ou omissões irreparáveis - mas que, na verdade, não ensina a investigar, porque isso não se ensina, aprende-se - vendo e fazendo - todos os dias!
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)