Sub-categorias

Notícia

Blog

Francisco José Viegas

Blog

Diz-se que há uma "maldição de Stefan Zweig", o austríaco que fugiu da Europa e do nazismo para se fixar no Brasil, em Petrópolis, onde se suicidou em 1942.
  • 0
  • 1
Por Francisco José Viegas|19.05.17
  • partilhe
  • 1
  • 0
Diz-se que há uma "maldição de Stefan Zweig", o austríaco que fugiu da Europa e do nazismo para se fixar no Brasil, em Petrópolis, onde se suicidou em 1942. Em 1941 publicou ‘Brasil, País do Futuro’ – título que constituiu, em simultâneo, uma promessa e uma maldição. O Brasil, hoje, é uma equação incerta.

É um país que já não tem desculpa. Não pode desculpar-se com a "herança colonial portuguesa" (desculpa fácil de sempre, sobretudo entre os intelectuais) nem com a agressão do capitalismo. Minado (verdadeiramente minado) pela corrupção, raros são os políticos a salvo da suspeita. Depois do consulado equívoco de Lula e da tragédia de Dilma (um pesadelo de incompetência e desleixo), o Brasil ouviu, incrédulo, o depoimento do antigo presidente petista, culpando a sua falecida mulher por eventual corrupção.

Uma vergonha. Anteontem, o país soube que Michel Temer não tem apenas falta de legitimidade eleitoral – mas também de probidade. Nada de novo. Do PSDB ao PT, passando pela desgraça que é o PMDB, poucos se salvam. O país do futuro é de novo um enigma. E um escândalo.

Citação do dia
"Andamos de peito cheio, mas ainda não crescemos o suficiente"
Paulo Fonte, ontem, no CM

Sugestão do dia
Alberto Moravia - Com ‘O Desprezo’, ‘A Atenção’, ‘O Conformista’ ou ‘Duas Mulheres’ foi em tempos um sucesso entre nós. A Livros do Brasil lançou ‘Os Indiferentes’, o seu primeiro romance, uma história romana.

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)