Sub-categorias

Notícia

Jantar à luz dos mortos

Leonardo Ralha

Jantar à luz dos mortos

O bom senso e o bom-gosto podem ser ultrapassados pela legislação.
  • 0
  • 6
Por Leonardo Ralha|11.11.17
  • partilhe
  • 6
  • 0
A jantarada do Web Summit no Panteão Nacional provou que o bom senso e o bom-gosto podem ser ultrapassados pelo que a legislação permite.

E a verdade é que, por despacho de 2014, assinado pelo ex-secretário de Estado Barreto Xavier, vigora um regulamento da utilização de espaços afetos à Direção-Geral de Património Cultural que permite fazer refeições no local do repouso eterno dos memoráveis de Portugal.

Consultando o site do Panteão Nacional apura-se mesmo que o monumento não dispõe de cozinha, pelo que qualquer estrutura de catering deve ser instalada no exterior, junto à entrada lateral.

Basta pedir a reserva, obter autorização, e pagar entre 2500 e 4000 euros pelo espaço em que se irá sentar os convidados.

Sendo certo que os monumentos podem e devem contribuir para a sua onerosa manutenção, lamenta-se que ninguém tenha pensado que um edifício dedicado a alojar mortos só deveria receber eventos em honra daqueles que, mal ou bem, para ali foram trasladados.

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)