Sub-categorias

Notícia

O absurdo

Almeida Henriques

O absurdo

Desviar os fundos de coesão do interior para o litoral é de um profundo mau gosto.
  • 0
  • 191
Por Almeida Henriques|14.11.17
Acredito que o leitor partilhe comigo a perceção de absurdo ao ler certas notícias de Lisboa e de iluminadas decisões do Governo da Capital.

Não, não me refiro ao episódio telenovelesco do sumptuoso e anacrónico jantar dos fundadores da Web Summit no Panteão, nem à trapalhada comunicacional que lhe seguiu e no qual (mais uma vez) se enredaram os seus responsáveis.

Refiro-me antes a dimensões mais profundas da realidade do país — com menos sex appeal nas redes sociais, mas mais reveladoras da cultura que nos governa e do futuro (ou da falta dele) que estamos a construir. Falo, neste caso, das opções de investimento público e da aplicação dos fundos milionários de Bruxelas.

O que ouvi nas últimas semanas da parte do Governo deixou-me uma sensação de profunda perplexidade. Li, em estado de incredulidade, que passa nas cabecinhas de alguns ministros com responsabilidades desviar "fundos de coesão" (que deveriam servir para desenvolver as regiões menos desenvolvidas) para os aplicar na "linha de Cascais" ou nos "metropolitanos de Lisboa e Porto". Naturalmente, fui reler para confirmar que tinha percebido corretamente…

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)