Sub-categorias

Notícia

O problema alemão

Luciano Amaral

O problema alemão

A UE e o euro continuam a ser formas de controlar a Alemanha.
  • 0
  • 3
Por Luciano Amaral|19.06.17
  • partilhe
  • 3
  • 0
O historiador inglês Eric Hobsbawm dizia, por graça, que o século XX tinha começado em 1917, quando a União Soviética nasceu, e acabado em 1991, quando desapareceu. Mas Hobsbawm era comunista, pelo que não admira a importância que dava à União Soviética. Outra maneira de olhar para o século XX – e para o XXI – é através da Alemanha.

O século XX foi o do ‘problema alemão’: foi por causa da unificação da Alemanha em 1871 (proclamada em Versalhes, para suprema humilhação francesa) que se deram a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais; foi para a controlar que, no fim da Primeira, em 1919, se lhe retirou grande parte do território e, no fim da Segunda, em 1945 (1949, mais exatamente), ela foi dividida em duas; foi para a controlar que se criou a Comunidade Económica Europeia (CEE).

Morreu há dias Helmut Kohl, o grande obreiro da reunificação alemã de 1991. E também da União Europeia (UE, a organização que substituiu a CEE em 1992) e do euro (a moeda que carregamos no bolso). Com estas três coisas, Kohl é um dos fundadores do mundo em que hoje vivemos, um mundo outra vez a braços, por sua causa, com o ‘problema alemão’. A UE e o euro continuam a ser formas de controlar a Alemanha, mas não está a ser fácil.

Quando vemos Schäuble tratar Centeno por ‘Ronaldo das finanças’ e a ‘geringonça’ feliz por ter saído do ‘procedimento por défice excessivo’, quando vemos o PS francês destruído pelas tentativas desesperadas de Hollande para fazer a França voltar a ser ‘competitiva’, quando vemos a Grécia e a Itália afundadas numa depressão permanente, quando vemos a Inglaterra ir-se embora e os EUA criticarem Merkel, é o ‘problema alemão’ ressuscitado por Kohl que vemos em acção. Ele chegou um dia a dizer que Merkel, com a sua obsessão pela austeridade, estava "a matar a minha Europa". Mas talvez esteja apenas a levá-la às últimas consequências.

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)