Vídeo-árbitro: nem vídeo, nem árbitro

Eduardo Cintra Torres

Vídeo-árbitro: nem vídeo, nem árbitro

Com as máfias lusas do futebol, tinha de acontecer: o vídeo-árbitro nem resolve em campo, nem depois. Alimenta confusões, manipulações e ódios.
  • 0
  • 39
Por Eduardo Cintra Torres|08.12.17
  • partilhe
  • 39
  • 0
Vídeo-árbitro: nem vídeo, nem árbitro
No futebol português, nada se perde, nada se cria: é sempre a mesma porcaria. Agora são as imagens do vídeo-árbitro que ora servem, ora não servem, ora se diz coincidirem com o jogo, ora se dizem manipuladas. E basta tirar uma imagem da sequência.


O criminoso de guerra Slobodan Praljak suicidou-se em pleno julgamento no Tribunal Internacional de Guerra para a ex-Jugoslávia. Ironia, o suicídio é, e bem, a mais evitada realidade pelo jornalismo, mas este caso ocorreu num tribunal — e em directo.


Tal como a ERC socratinista, a Comissão Nacional de Protecção de Dados extravasou competências para censurar o relatório da Comissão de Inquérito a Pedrógão, que desagradava ao governo. É a mesma tendência pró-fascista do Estado ao serviço do governo.


O reality game show chama-se ‘Naked & Afraid’, nus e com medo. Atiram concorrentes nus para a Amazónia. Digitalizam as partes pudibundas (para o espectador não estão nus). Estão "sós" — com inúmeras equipas técnicas, médicos, etc. A estupidez é total.


Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Subscrever newsletter

newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)