Sub-categorias

Notícia

Juiz que chumbou Isaltino quis fiscalizar eleições em Oeiras

Nuno Tomás Cardoso, afilhado de casamento do candidato Paulo Vistas, escolheu fazer turnos no tribunal.
Por J.C.M.|10.08.17
O juiz que inviabilizou a candidatura de Isaltino Morais à Câmara de Oeiras, alegando irregularidades na recolha de assinaturas do candidato independente escolheu fazer turnos ao processo eleitoral no Tribunal que serve este concelho.

Nuno Tomás Cardoso, que teve o atual presidente da câmara e candidato à reeleição Paulo Vistas como padrinho de casamento, disponibilizou-se para fazer turnos e colocou Oeiras como tribunal preferencial. Segundo documento da comarca judicial de Lisboa a que o CM teve acesso, o magistrado cumpriu os turnos ao processo eleitoral entre 1 e 8 de agosto. E foi, precisamente, no último dia em que esteve de turno em Oeiras que despachou no sentido de inviabilizar as candidaturas de Isaltino e Sónia Gonçalves, também candidata independente ao município.

A candidata já avançou com um pedido de afastamento do juiz, que está a ser alvo de uma investigação do Conselho Superior de Magistratura.

O CM avançou esta quinta-feira que a mulher do juiz, Catarina Cardoso trabalha nos Serviços Intermunicipalizados de Oeiras e Amadora, cujo concelho de administração é presidido por Paulo Vistas. Não é funcionária do SIMAs, mas tem em vigor um contrato de prestação de serviços.


pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De tojornais10.08.17
    É juiz e corrupto logo está apresentado. Apresentem-me em Portugal um juiz que não seja corrupto e que não pertença à máfia instalada. Têm o tempo que quiserem pois temos tempo até ao ano 3000. Na política vale tudo e fica demonstrado como este País é governado por mercenários e mafiosos.
1 Comentário
  • De tojornais10.08.17
    É juiz e corrupto logo está apresentado. Apresentem-me em Portugal um juiz que não seja corrupto e que não pertença à máfia instalada. Têm o tempo que quiserem pois temos tempo até ao ano 3000. Na política vale tudo e fica demonstrado como este País é governado por mercenários e mafiosos.
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Política

pub