PCP rejeita legitimidade da União Europeia para aplicar sanções à Hungria

Parlamento Europeu recomendou a instauração de um procedimento disciplinar à Hungria por violação grave dos valores europeus.
12.09.18
O PCP rejeitou esta quarta-feira a possibilidade de aplicação de sanções à Hungria por parte da União Europeia (UE), dizendo não reconhecer a esta entidade "autoridade ou legitimidade" para atuar como juiz em matéria de democracia e direitos humanos.

"O PCP denuncia e condena firmemente os ataques à democracia, aos direitos sociais, às liberdades e garantias fundamentais dos cidadãos na Hungria. Mas, o PCP rejeita também que, a pretexto desta situação (...) a União Europeia tente abrir caminho ao incremento das suas ameaças, chantagens, imposições e sanções contra os Estados e os seus povos", refere o partido, numa nota à imprensa.

O Parlamento Europeu recomendou esta quarta-feira ao Conselho a instauração de um procedimento disciplinar à Hungria por violação grave dos valores europeus pelo Governo de Viktor Orbán, em matérias como migrações e Estado de direito.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!